Bolsonaro faz ‘pedalada pandêmica’ com dados da covid-19

0
78

Falou junto com FHC e Ciro, FHC: Brasil está sem rumo, ciro: saída é ‘punir’ Bolsonaro

A ex-senadora Marina Silva disse neste domingo (7.jun.2020) que Bolsonaro faz “pedalada” com a pandemia. O governo federal ocultou do site o total de casos e mortes pela covid-19 no Brasil.

Ela participou de debate organizado pela Globo News com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o ex-ministro Ciro Gomes.

A fala de Marina é uma alusão às pedaladas fiscais, que motivaram o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff em 2016.

Para a candidata à Presidência da República em 2018 pela Rede, a ação coordenada por Jair Bolsonaro é 1 crime de responsabilidade e também é passível de deposição do chefe do Executivo.

“Como pode 1 presidente fazer uma escolha pelo conflito? Não tem projeto político. O único que tem é o de radicalizar contra a democracia, contra a ciência, contra o bom senso. Nós estamos vivendo uma situação vergonhosa […] Ninguém quer ficar perto do Brasil. Estamos ficando de fora de tudo”, disse Marina.

Caso a mudança impetrada pelo governo persista, Marina sugere que o Congresso, sob liderança do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), compile os dados e os divulgue independentemente do Planalto.

Ciro

Ciro Gomes também manifestou-se de maneira contrária ao movimento do governo de mostrar apenas os dados diários. “Vamos à Justiça para não permitir que o Bolsonaro fraude a consciência popular e esconda os números da pandemia”, declarou.

O pedestista, que também concorreu ao cargo máximo do Executivo há 2 anos, acompanhou Marina e pediu o impeachment do presidente.

“Cada 1 de nós, com muita humildade, precisamos convencer nosso povo de que a única saída para salvar a nação brasileira de sua implosão e da aventura autoritária é punir Bolsonaro pelos crimes de responsabilidade que ele está cometendo”, afirmou o ex-governador do Ceará.

Ciro defendeu uma frente ampla da oposição para reverter a situação de crise política e social que ela afirma que o Brasil vem sofrendo. Para o pedetista, é preciso colocar as diferenças de lado para “construir 1 caminho que ajude a salvar vidas”.

O ex-presidenciável cobrou ainda a realização de testes em massa e reforçou a necessidade do isolamento social para conter a disseminação do coronavírus no país. Por último, ironizou a efusiva defesa de Bolsonaro pelo uso da cloroquina no tratamento à covid-19: “Nunca vi político prescrever remédio pela televisão”.

FHC

Fernando Henrique Cardoso concordou com Ciro: “É hora de juntar forças. É necessário e urgente que se faça isso. Precisamos buscar pontos de convergência. Uma agenda pessoal ou partidária não cabe nesse momento.”

O ex-presidente afirmou que a situação atual do país não permite que as pessoas se calem. Ele usou como exemplo o vídeo da reunião ministerial de 22 de abril. Segundo o tucano, o encontro de Bolsonaro com o 1º escalão mostrou que o Brasil está “sem rumo”

“Não é que eles sejam de direita, eles são é atrasados”, classificou o ex-mandatário, que ocupou o Planalto de 1995 a 2002.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui