Homem é preso por espancar e manter em cárcere privado companheira que conheceu pela internet.

Um homem acusado de agredir e manter a companheira em cárcere privado foi preso pela Polícia Civil na tarde desta quinta -feira (6), em Mangabeira,

Um homem acusado de agredir e manter a companheira em cárcere privado foi preso pela Polícia Civil na tarde desta quinta -feira (6), em Mangabeira, na Zona Sul de João Pessoa. Edvaldo Juvino Jorge, 48 anos de idade, foi preso pela Delegacia de Atendimento à Mulher da Zona Sul de João Pessoa.

De acordo com a delegada Cláudia Germana Santos, a vítima relatou que conheceu o acusado há cerca de quatro meses pela internet. Há dois meses, ele passou a residir na mesma casa com a mulher e prometeu se casar com ela. “Quando ele começou a morar na casa dela, ele passou a agredir sicamente a vítima e a manter em cárcere privado. Ele a espancava muito, cuspia sobre ela, impedia que ela saísse de casa sozinha e ainda reteve o celular dela “, contou a delegada Cláudia Germana.

O fato foi denunciado à polícia por amigos e vizinhos. “Ele chegou a rasgar a bolsa da vítima e disse que estava fazendo aquilo com a bolsa para não fazer com ela, demonstrando o alto grau de agressividade “, acrescentou a delegada. Ainda de acordo com a autoridade policial, o preso ainda tentou aplicar um golpe contra a vítima. “Ele se dizia um pastor evangélico e queria que a mulher vendesse um carro para fundar uma igreja. A vítima se negou a vender o carro e passou a ser agredida sicamente por causa disso”, destacou Cláudia Germana.

Assim que tomou conhecimento do fato, a delegada determinou que sua equipe de investigação saísse em diligências para localizar e prender o agressor. Ele foi preso no apartamento da vítima e não reagiu à prisão. Ele foi autuado por prática de crimes de cárcere privado, lesão corporal, injúria, previstos no Código Penal Brasileiro e Lei Maria da Penha.

O preso será encaminhado para a carceragem da Central de Polícia até ser apresentado à audiência de custódia.

Adicionar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *