Gasto de instituições federais do RN com cartões corporativos dobra em 2019

OUÇA A MATÉRIA

Até agosto, as unidades federais já consumiram R$ 880 mil, o que representa o dobro do que foi gasto no mesmo período 2018, com um total de R$ 433 mil

As instituições federais de ensino superior do Rio Grande do Norte ampliaram em 103% gastos com cartões corporativos ao longo de 2019. Até agosto, as unidades federais já consumiram R$ 880 mil, o que representa o dobro do que foi gasto no mesmo período 2018, com um total de R$ 433 mil.

Do valor gasto ao longo deste ano, as compras de passagens aéreas lideram o uso do cartão corporativo nas instituições no Rio Grande do Norte, com R$ 849 mil. Os demais gastos, R$ 31,2 mil, foram utilizados para o uso de servidores em supermercados, lojas de material construção, lojas de variedades, papelarias, livrarias e até restaurantes.

O uso dos cartões corporativos pelo governo federal é regulamentado pela lei federal 5.355/2005. A iniciativa visa atender a despesas de pequeno vulto, custear despesas eventuais, inclusive em viagens e com serviços especiais, que exijam pronto pagamento e, por fim, servir para pagar custos de caráter sigiloso. Não há um limite para a quantidade de compras, mas o valor máximo para o gasto unitário é variável: serviços têm teto de R$ 8 mil e para obras de engenharia, R$ 15 mil.

Os dados foram obtidos pelo Agora RN ao analisar o Portal da Transparência da Controladoria-Geral da União (CGU). A recordista em despesas com o cartão é a Universidade Federal do Rio Grande do Norte. A instituição já gastou R$ 746 mil até agosto deste ano. A maior parcela foi utilizada para o pagamento de passagens aéreas, com R$ 712 mil.

No entanto, chama atenção o uso do cartão corporativo para pequenas compras. Há gastos que variam de R$ 8,80 em uma loja de material de construção a até R$ 65,44 pagos de um almoço feito em um restaurante.

Cinco servidores da UFRN utilizaram o cartão em 2019. A liderança da gastança foi uma servidora do Centro de Ciências da Saúde, lotada no curso de nutrição, que gastou R$ 11 mil.

Ainda de acordo com os dados da CGU, a Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA) ficou em segundo lugar com os gastos com o cartão em 2019. Foram utilizados R$ 124 mil pela instituição. A universidade, por sinal, registrou a menor compra entre as instituições em 2019. Uma servidora técnica-administrativa fez a aquisição de R$ 2,68 em loja de material de construção de Mossoró.

O Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) utilizou R$ 9 mil em gastos com o cartão. Todo o valor foi utilizado para a compra de passagens aéreas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: