Desemprego cede novamente em agosto, mas ainda atinge 12,6 milhões de brasileiros

OUÇA A MATÉRIA

Taxa caiu a 11,8%, segundo dados divulgados pelo IBGE nesta sexta-feira

O desemprego continua cedendo. A taxa no trimestre encerrado em agosto caiu para 11,8%, mas 12,6 milhões de pessoas ainda buscavam uma vaga. Os dados são da pesquisa Pnad Contínua, do IBGE. Nos três meses encerrados em maio, que servem como base de comparação, 12,9 milhões de pessoas estavam sem emprego, e a taxa estava em 12,3%. O mercado projetava um desemprego de 11,6% em agosto.

A Pnad analisa tanto o mercado formal quanto o informal. Essa melhora nos números vem ao encontro dos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados esta semana pela Secretaria do Trabalho, que considera apenas vagas formais.

Os dados do Caged mostram que, em agosto, foram criadas 121.387 vagas de trabalho com carteira assinada, o melhor resultado para o mês desde 2013. No ano, o saldo já está positivo em 593.497 novos empregos (diferenças entre desligamentos e contratações).

Ainda que a economia brasileira esteja reagindo lentamente – as previsões estão convergindo para uma expansão de0,8% este ano, abaixo dos últimos dois anos -, o mercado de trabalho no país vem mostrando uma dinâmica mais favorável. Principalmente no crescimento do pessoal ocupado.

Apesar da piora de composição e do rendimento médio – em parte devido ao crescimento da informalidade -, o grupo dos empregados já se encontra em patamar superior ao registrado no período pré-crise.

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o recuo da taxa de desemprego só não tem sido mais significativo por conta do crescimento mais elevado da força de trabalho. Ou seja, mais pessoas passaram a procurar uma vaga, pressionando a taxa para cima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: