Crítica de Bolsonaro ao Renda Brasil foi ‘carrinho fora da área’, diz Guedes

0
85

Fez analogia futebolística, coisa absolutamente normal’

O ministro da Economia, Paulo Guedes, minimizou nesta 6ª feira (28.ago.2020) as críticas públicas do presidente Jair Bolsonaro ao Renda Brasil, programa social que substituirá o Bolsa Família.

Guedes comparou o caso, em tom de brincadeira, a uma “entrada perigosa“, em uma analogia ao futebol. “O presidente foi lá lançar o V da vitória, o V da retomada, e eu fiquei aqui limpando papel e ainda tomei 1 vazamento. Ele chegou lá e [disse]: ‘Pô, o PG mandou 1 negócio aqui, assim não tá bom. Não pode tirar do pobre pro mais pobre, não’. Ainda tomei uma dessas. Falei com ele:Pô, presidente, isso aí é carrinho, entrada perigosa’”. “Ainda bem que foi fora da área, se não era pênalti” afirmou.

O presidente disse na 4ª feira (26.ago) estar insatisfeito com a sugestão da equipe econômica de cortar o abono salarial (pago a quem recebe até 2 salários mínimos) para financiar o projeto. Do jeito como está, diz, a proposta não será enviada ao Congresso.

“Quando isso é imaginado, o presidente, com instinto político, diz: ‘Espera aí, pegar do pobre para dar ao mais pobre?’. O salário de 75% dos brasileiros que estão na CLT é de 1,5 salário mínimo. Então, realmente, é tirar da base de trabalhadores e passar para o que está desempregado”, disse o ministro.

Agora, Guedes busca encontrar recursos para o programa, dentro da regra do teto de gastos públicos (norma que proíbe o governo de gastar mais que a inflação do ano anterior). “É a política que define o ritmo das reformas. O presidente olhou lá 1 determinado aspecto da reforma e falou: ‘Isso aqui não está bom. Trava, reestuda, se não eu prefiro recalibrar o auxílio emergencial do que lançar 1 Renda Brasil capenga’. São coisas absolutamente normais e elas ganham uma dimensão de crise por má-interpretação”.

Segundo o ministro, o valor do benefício será definido pensando numa transição suave. “Tem que haver 1 pouso para não haver uma interrupção abrupta. Estamos estudando justamente isso”.

“A ideia do Renda Brasil é uma consolidação de programas. Isso é 1 processo. Da mesma forma que lá atrás foi criado o Bolsa Família focalizando alguns programas sociais, como o Vale Gás, Bolsa-Escola, Vale Transporte, o nosso programa está sendo trabalhado há mais de 1 ano. Isso já foi falado durante a campanha, já estava estudando como focalizar principalmente na 1ª infância.”

Guedes disse que o programa será implantado com algumas condicionalidades para as famílias. Disse que o objetivo é fechar a “fábrica de miséria” do Brasil.

TETO DE GASTOS

Guedes defendeu a importância do teto de gastos para o momento atual da economia brasileira. Falou que a norma não existe nos grandes países. “O teto é uma promessa de seriedade enquanto a classe política não recupera os orçamentos e não demonstra esse controle sobre as despesas. O teto vai existir enquanto for necessário. Eu não estou vendo tão cedo essa dispensa”.

Reformas

Guedes disse que Bolsonaro tem manifestado apoio à agenda econômica com os “olhos bastante motivados”. Falou que o ambiente político também está favorável a reformas. O ministro defendeu novamente a privatização dos Correios, das Docas, da Eletrobras e da PPSA.

Segundo o Guedes, Bolsonaro quer avançar na reforma administrativa. “Está havendo uma evolução muito construtiva”.

Assista abaixo à fala do ministro (1h16min):

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui