General Girão classifica quebra de sigilo como “atitude de arbitrariedade”

0
163

Girão, outros nove deputados bolsonaristas e um senador tiveram sigilos fiscais quebrados após decisão do ministro Alexandre de Moraes

O deputado federal General Girão (PSL-RN) afirmou, por meio de nota divulgada na noite desta terça-feira (16), que atitude do Supremo Tribunal Federal (STF) é de “arbitrariedade e totalitarismo”.

Girão, outros nove deputados bolsonaristas e um senador tiveram sigilos fiscais quebrados após decisão do ministro Alexandre de Moraes. A ação é decorrente do inquérito que apura a organização de financiamento de atos antidemocráticos. A decisão do ministro, que conduz as investigações, foi tomada no dia 27 de maio.

Confira a nota completa do parlamentar:

A Assessoria de Comunicação informa que, por intermédio da imprensa, o Deputado Federal General Girão (PSL/RN) tomou conhecimento que teve seu sigilo bancário quebrado, por determinação do Ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

Até o momento, o Deputado não recebeu qualquer notificação oficial a respeito e buscará todas as medidas cabíveis para se contrapor a um ato que configura mais uma atitude de arbitrariedade e totalitarismo — inconcebível e incompatível com o Estado Democrático de Direito — que agride frontalmente o art. 53 da Constituição Federal: “os Deputados e Senadores são invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões, palavras e votos”.

O Deputado reafirma que tem a sua vida pautada pela Lei e pela Ética e que não recuará nenhum passo em defesa da Liberdade de Expressão, da Liberdade de Imprensa e da Democracia.

Selva!
Brasília, DF, 16 de junho de 2020, às 19:20 horas.
Gabinete do Deputado Federal General Girão

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui