PM é acusado de violência excessiva ao pisar em pescoço de mulher negra em SP

0
192

Doria disse ser conduta ‘inaceitável’, polícia Militar está apurando o caso, agentes envolvidos foram afastados

A Polícia Militar de São Paulo foi acusada de usar violência excessiva ao conter uma mulher negra durante uma confusão em 1 bar da cidade. O vídeo da ação foi gravado por moradores e exibido na noite deste domingo (12.jul.2020) no “Fantástico”, da TV Globo.

Nas imagens, 1 policial aparece pisando no pescoço da mulher e, depois, a arrastando para a calçada. A ação ocorreu na tarde do dia 30 de maio, em Parelheiros, zona Sul da capital paulista. Na data, bares e restaurantes estavam proibidos de abrirem ao público, por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus. Os estabelecimentos podiam funcionar apenas para retirada de pedidos e entrega em domicílio. De acordo com a dona do bar, vítima da agressão, os clientes iam ao local comprar as bebidas e consumiam na rua.

A PM foi chamada por moradores incomodados com 1 homem que deixou o veículo estacionado em frente ao bar e o som ligado em alto volume. A dona disse ter sido agredida quando tentou defender 1 amigo, imobilizado pelos PMs. Segundo ela, 1 dos agentes, identificado na reportagem como João Paulo, a teria empurrado para uma grade, dado 3 socos e a deixado caída no chão. Essas agressões não são mostradas no vídeo.

As imagens exibidas mostram a mulher já deitada no meio-fio e o policial com o pé em seu pescoço. Em 1 momento, o PM apoia todo o peso do corpo sobre ela.

A equipe do “Fantástico” conversou com o agente, que disse que o colega foi atacado pela mulher com uma barra de ferro e, por isso, estavam se defendendo. Os PMs registraram boletim de ocorrência por desacato, lesão corporal, desobediência e resistência. A vítima, que nega ter agredido os policiais, foi levada ao hospital com ferimentos no rosto, nas costas e uma perna quebrada. Ela teve alta e ficou detida até o dia seguinte.

O governador de São Paulo, João Doria, comentou o caso em seu perfil no Twitter. “Os policiais militares que agrediram uma mulher em Parelheiros, na Capital de SP, já foram afastados e responderão a inquérito. As cenas exibidas no Fantástico causam repulsa. Inaceitável a conduta de violência desnecessária de alguns policiais. Não honram a qualidade da PM de SP”, escreveu o governador.

Em nota, a PM de São Paulo disse que afastou os policiais envolvidos no caso. A Secretaria de Segurança Pública afirmou que “não compactua com desvios de conduta seus agentes” e que, desde o começo de julho, todos os  policiais estão participando de programas de treinamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui